Blog

fabricação de cds

Matriz na mão, e agora o que fazer ?

É certo que após infindáveis dias de ensaios extenuantes e infinitos problemas já resolvidos no estúdio de gravação (mais grave, menos grave, bateria na frente ou não, mixagem, etc.) você fica feliz e já pensa no lançamento do seu CD ou DVD.

Começa então uma etapa que no Brasil é bastante complexa o que não deveria ser, pois temos uma indústria para atender o mercado fonográfico muito bem amparada tecnologicamente. O primeiro passo é saber definir se o disco será injetado (prensado) ou copiado.

Ainda hoje muitas pessoas não sabem diferenciar uma produção feita com CD-R (mídia gravada por computadores PC) de uma produção feita por injeção industrial e até perguntam na hora de fechar o pedido com a empresa prestadora de serviços: A fabricação de CD ou do DVD é original ?

Dentro da palavra “original” está a real dúvida sobre o processo de produção. Fabricar CD “original” ou fabricar CD-R. Portanto segue abaixo a definição correta para que você não tenha mais dúvidas na hora de efetuar o seu pedido de fabricação:

CD-R: Do inglês Compact Disc – Recordable, é um disco fino (1,2mm) de policarbonato usado principalmente para gravar músicas ou dados. Processo que normalmente atende pequenas tiragens para CDs promocionais.

CD-RW: que permite ao utilizador normal fazer a suas próprias gravações uma, ou várias vezes, respectivamente, caso possua o hardware e software necessários.

CD injetado ou prensado: Processo industrial onde é feita produção de uma matriz (Glass Master) em vidro que contém os sulcos, relevos altos e baixos, que representam o conteúdo digital do original fornecido pelo cliente.

O STAMPER deriva desta matriz, (Glass Master) que será colocada posteriormente nas injetoras onde as cópias serão injetadas em plástico Policarbonato. O próximo processo é o da METALIZAÇÃO de cada mídia onde é colocada uma camada fina espelhada para que o laser leitor da mídia seja refletido e lido, depois as mídias passam para o processo de impressão das imagens ou textos que é chamado de rótulo. Pronto temos a fabricação do CD injetado finalizada.

Uma forma de evitar leituras técnicas e dores de cabeça é contratar uma empresa com boas referências no mercado fonográfico. Você pode consultar o Google sobre as referências das empresas, digitanto o nome da empresa e a palavra reclamações, mas normalmente no Brasil o consumidor dificilmente faz isso, esta atitude abreviaria com certeza incontáveis transtornos futuros. A Maximus Brasil é uma empresa que tem um perfil bastante interessante, presta serviços de qualidade reconhecida por diversos segmentos da sociedade como empresas, estúdios e músicos independentes. Com a opção de fabricação industrial via Manaus e via São Paulo, podendo atender solicitações com prazo de entrega de até 15 dias para CDs no pino ou completo com embalagens digipack ou com box acrílico.

Resumindo, na hora de contratar a empresa que vai fabricar CD ou DVD, basta fazer o que o PROCON ensina. Pesquise.

 

Natanael Gonçalves – 19/01/2016

Comentários